quarta-feira, 23 de novembro de 2016

Aconchegar(-me) (II)

Peter Pan chama-me para o sofá, encosta-se a mim e pede uma manta. Tapo as nossas pernas e envolvo-o num abraço de carinho. Ele encosta a cabeça no meu peito e pede que lhe conte uma história.
- Que história, filho?
- A das Tartarugas Ninja.
- Ups... não sei essa... mas posso contar a do Hansel e Gretel...
Conto a história de memória e sinto-o a ficar molinho, a mão macia a procurar o meu pescoço, a cabeça a ficar mais pesada no meu peito.
Quando termino, pede-me "outra vez" já com os olhos a quererem fechar. Recomeço mas nem chego à parte do forno. Adormeceu profundamente nos meus braços, quente e aconchegado. Sem saber que é ele que me dá colo. E que abraçá-lo me devolve a paz e a serenidade.

terça-feira, 22 de novembro de 2016

segunda-feira, 21 de novembro de 2016

domingo, 20 de novembro de 2016

Manhã de mimo (V)


Enroscares-te no meu colo, tapados por uma manta, a ouvir chover lá fora. Ter para ti todo o tempo e atenção e carinho do mundo. Sentir o teu calor e a tua pele macia. E os teus beijos lambuzados.

sábado, 19 de novembro de 2016

Prestar atenção








As cores de ouro e fogo das árvores, a calma dos finais de dia ao calor da lareira acesa, o cheiro das castanhas assadas (mesmo não gostando de as comer), a delicia das broas que devoro sem parar. A alegria de Peter Pan a apanhar pinhas e paus secos, ou a chapinhar nas poças de água. A cumplicidade de fazermos um bolo em conjunto numa tarde de chuva.
Este é talvez o Outono mais bonito de que tenho memória.
Ou pelo menos, aquele a que prestei mais atenção.

sábado, 5 de novembro de 2016

quinta-feira, 3 de novembro de 2016